;

domingo, 8 de março de 2009

Tchau Zé

A correria de trabalho que estou vivendo ultimamente atrasou a postagem deste triste post.
Esta semana faleceu nosso amigo José Ângelo, o Zé Bolt. Amigo de longa data, nos deixou subitamente ao que tudo indica de infarto.
Conheci o Zé no Colégio São Paulo, acho que já no primeiro ano que passei a estudar naquele colégio, na 5ª série em 1977.
Neste nosso blog da turma cito o Zé Bolt em vários posts pois ele foi um dos primeiros integrantes da nossa turma de amigos.
O Zé estudou comigo durante vários anos, e sempre foi um dos mais recatados da turma. Ficava na dele quando bagunçávamos as aulas de arte da antipática irmã Sílvia. Lembro nitidamente de um dia, lá pela sétima série do ginásio, em que a tal freira se atrasou numa de suas aulas.
Quando ela chegou a sala parecia ter sido alvo de um furacão. Era papel prá todo lado, tinham arrancado os espelhos da tomadas de luz e até invertido a gaveta da mesa dela.
O Vládi ainda puxando o blusão, tentava se soltar da janela em que estava preso. O ápice do motim foi quando alguém enfiou uma lixeira plástica na cabeça de um CDF da sala.

Lembro do Zé quieto, na dele. Apesar de ser nosso amigo, não participou daquela 'revolução' que felizmente não teve maiores consequências.
Em seguida me vêm a lembrança das piscinas do clube Grêmio Niterói. O indispensável calção Lightining Bolt que lhe deu o apelido, e aquele jeito peculiar do magrão de rir.

São lembranças esparsas que vem direto da adolescência pois infelizmente fazia anos que eu não tinha contato com o Zé.

Quando recebi o e-mail com a notícia nesta semana percebi o quanto somos frágeis, o quanto o tempo já passou desde aqueles verdes anos em que a velhice e a morte eram utopias distantes de nossa realidade.

É meus amigos, o tempo é implacável e vai recolhendo-nos durante sua trajetória prá quem sabe um dia nos colocar de novo próximos outra vez.

Gostaria de citar aqui algumas manifestações que circularam por email, relacionadas a morte do amigo Zé Bolt:

"Galera, realmente muito lamentável o fato, principalmente por eu ter estudado com o Zé nas primeiras séries no colégio São Paulo e depois nos reencontrarmos na adolescência fazendo parte da nossa turma. Curiosamente estava neste fim de semana na praia, e num daqueles momentos em que nossa mente insiste em voltar ao passado lembrei dele, me questionando onde andaria, e sempre que me lembro do Zé inevitavelmente me lembro de uma história que o Nenê contava, quando uma vez foram perseguidos (...), o Zé estava pilotando sua moto com o Nenê na carona e toda vez que iam entrar em uma rua para despistar ele corretamente ligava o pisca, indicando para onde iriam, história que nos rendeu por várias vezes muitas e boas risadas."
Daison


"Galera é com grande emoção que recebi esta notícia ontem através de e-mail pela Rosângela. Conheci o Zé Bolt em 1977 quando éramos colegas de aula juntamente com o Daniel. Desde então éramos parceiros de várias modalidades de esportes: Bike (caloi 10) éaramos eu e ele que montávamos nossas próprias bikes e skates (speedo) e na época o Marinha estava sendo inaugurado ou reformado não lembro ao certo, mas quem estava lá éra sempre eu e ele... gritando Snakeee e saiam da frente.
O apelido Zé Bolt pegou porque nós usávamos os velhos shorts da Lighting Bolt e curtíamos a piscina do Nit (bons tempos). A Rosana, Cleusa, Cátia, Angela, Tânia e a Rosangela (se não me engano também) faziam parte da turma, os marmanjos eram eu (Vladi) o José Ângelo (Zé Bolt - ele e o Pedro são meus primos segundo grau), Daniel, Joni, Miltinho, Paulinho, Rubens e claro os mano Nenê,Toninho que na época éram os bambas de moto (o Nenê e o Toninho nos deram um susto - sofreram um acidente feio de moto) e o Nato...
...Que Deus nos abençoe e que nosso amigo esteja em paz juntamente com outros que já nos deixaram prematuramente em especial o Nenê."
Vládi


"Puxa amigos,infelizmente é com muita tristeza que venho a todos neste momento.Como disse o Daniel, eu também há muitos anos não tinha mais contato com o Zé, mas era um grande amigo e parceiro de todas nos áureos tempos das noitadas (bons tempos) em Niterói. Sabemos que esse destino esta traçado para todos nós, mais é chocante quando acontece com um amigo, e principalmente de tão pouca idade como era o Zé, que ainda tinha muita coisa por fazer.Meus sentimentos a todos amigos e familiares."
Arlei (Boca)

"Transmitam a família os meus mais profundos pesames.
Nestas horas a gente não tem muito o que dizer, apenas desejar que Deus acolha de braços abertos a chegada deste irmão. "
Nando



"Fui vizinho do Zé na Júlio, inclusive aquele skate speedo acabei ficando com ele em troca de uma bola de basquete.
A última vez que falei com o Zé estávamos fazendo a academia Mappi, faz uns 4 ou 5 anos isto.
Partem os amigos e ficam as lembranças."

Marcão


Que Deus ilumine o espírito de nosso amigo e conforte seus familiares.

Zé, já estamos com saudades, fica com Deus. Dá um abraço no Nenê e no Maribinha quando chegar aí em cima...

Daniel Elói P Oliveira